Menu Horizontal

sábado, 7 de setembro de 2013

Paixão da Primavera

Saudades da Teresa ...

Era primavera e naquele ano as pessoas visitavam o parque florestal no intuito de reunir a família e os amigos. Alguns vinham para fazer um verdadeiro piquenique ou churrascada sob o céu aberto.

O dia estava claro, sem ameaça de chuvas. Eu aproveitava para fotografar a "Sakura" (Flores da Cerejeira). Muitas pessoas faziam o mesmo, pois o cenário estava maravilhoso, digno para cartão postal.

Depois, resolvi me aventurar e escolhi para seguir por uma das diversas trilhas que existiam naquele lugar exuberante. Não sabia ao certo onde daria aquele caminho. Eu estava só e sabia que se aprofundasse pelo meio da mata poderia até me perder, mas o espírito de aventura, risco e curiosidade me incentivavam a seguir em frente.

Calculei uns 15 minutos, até avistar algo que já não pertencia ao parque municipal. Era uma espécie de clube, condomínio japonês. Deparei com um segurança do local e expliquei de onde eu vim e se haveria problemas de visitar aquele lugar. O homem foi simpático e disse que era aberto ao público e inclusive indicou a área comercial, onde haviam lanchonetes, bares e lojas de conveniência. Percebi que se tratava de um bairro autônomo, voltado para a comunidade japonesa.

Aos poucos fui avistando mais pessoas. Cheguei numa praça onde crianças e adultos frequentavam uma enorme praça. Era em torno dessa praça central que ficava o comércio local. Tirei muitas fotos e nem percebi o entardecer.

Nessa altura, eu já estava com sede e fome. Entrei em um "Snack" bem ao estilo "american-bar". Fui recepcionado pela hostess (mulher que atende e acompanha os clientes do Snack). Era um lugar voltado para o público adulto. Imaginei que fosse somente por causa das bebidas mesmo, pois não tinha nada de obsceno ali. Dentro do salão havia um balcão que se estendia pela lateral com os barmans que serviam vários clientes e muitos casais. No meio do salão havia algumas mesas e também tinha um pequeno palco com um telão atrás.

Fiquei junto a uma mesa e logo fui atendido. Pedi um lanche e um suco.
Enquanto aguardava, percebi que um grupo ocupava o palco e cantava ao som do karaokê. Entre uma rodada de karaokê e outro, eles exibiam vídeo-clips musicais no telão.

Foi uma outra hostess que me serviu e perguntou se podia sentar ao meu lado. Respondi que sim e começamos a conversar. A hostess era uma oriental simpática e me contou tudo sobre aquele ambiente. Ela me contou que lá, sempre rolava brincadeiras, tipo concurso de karaokê, além dos bailes tradicionais que animavam a clientela.

De repente, ouvi uma música linda. Lembro do vídeo que mostrava um casal se curtindo na paixão da primavera. Perguntei para a hostess quem era aquela mulher que cantava. A hostess sorriu e disse que era a Teresa.
Fiquei apaixonado. Adorei a voz dela e a Teresa estava linda.

Os casais dançavam e as pessoas deliravam ao som daquela música romântica.
A hostess acabou me enturmando com aquele grupo de pessoas.
Fiz amizade e fiquei alegre com tanta gente animada e divertida.

Voltei para casa a noite. A Teresa deixou saudades e nunca vou esquecê-la ...


Elaboração: Marco Okuma para o Blog de MAOSECRETS
Arquivo: Grupo MAOSECRETS

Postar um comentário

Deixe o seu comentário aqui ! A sua opinião é muito importante para nós !
Mas lembre-se: Gentileza gera gentileza !
Serão excluídos sem aviso prévio as ofensas e os comentários que contrariem as leis e a boa moral.