Menu Horizontal

domingo, 30 de junho de 2013

Passeando no Interior


As imagens ilustram cenas do interior.

Quem já se hospedou em uma casa de campo, chalé ou já passou alguns dias em uma chácara, sabe da alegria que é viver junto com a natureza. 
Tenho conhecidos e parentes que amam essa vida do interior e que por sinal, nem sempre é pacata como algumas pessoas imaginam ...

Na minha adolescência, fiz uma viagem rápida para uma cidade a 200 quilômetros de São Paulo. Fui convidado para passar o feriado na casa de um casal de amigos. Aqui vou chamá-los de André e Rita (nomes fictícios).

Não lembro o ano, mas recordo que foi no período do Carnaval.
Alguns meses antes dessa viagem, eu fui no casamento deles. 
André e Rita quando solteiros, eram meus vizinhos no bairro que eu morei.
A nossa amizade sempre foi muito boa. Frequentamos os mesmos colégios e íamos nas mesmas baladas e festas.

Sou dois anos mais novo que o André e um ano mais novo que a Rita.
Nós três, já vivemos muitas experiências juntos, por isso trocamos idéias até hoje. Logicamente, com menos frequência, mas temos contatos através da internet.

Voltando ao assunto da minha viagem, eu pude acompanhar um pouco o dia-a-dia deles. Eles estavam felizes com a vida de casados vivendo no interior.
O André era músico e conseguiu um serviço para tocar num clube próximo da casa deles. Esse clube era o point daquela cidadezinha, onde passaríamos a noite de Carnaval.
Antes do casamento, a Rita era modelo fotográfica aqui em São Paulo e participava com frequência de feiras e eventos. Mas, lá no interior, ela entrou no ramo de paisagismo e passava o dia cuidando de jardins em condomínios e chácaras da região. Eles ainda não tinham filhos. Criaram o Pluto, um cão domesticado.

Nos dois dias que antecederam o Carnaval, o André ainda saía para trabalhar no clube e eu ficava com a Rita que já folgava há três dias. Aproveitamos para conversar bastante. Eu perguntei se ela não tinha saudades de São Paulo.
A Rita me falou que sentia um pouco a falta da agitação, das baladas e dos amigos ... Nesse momento, ela sorriu diferente, pois acabamos lembrando das festas loucas que passamos juntos. A Rita era um furacão nas pistas de dança, super comunicativa e cheia de energia, enquanto que o André era o oposto, apesar da profissão. Ele praticamente estava em todas, mas ficava sempre na dele, não era como a Rita que era fogosa e agitada.

Na manhã do primeiro dia, a Rita me levou para conhecer uma cachoeira.
Ficava num local bem isolado das pessoas, mas possuía um visual lindo, parecia cartão postal. Era um lugar ideal para casais apaixonados.
Estava muito calor e não demorou para cairmos na água.
Nós fomos preparados, eu estava de bermuda e a Rita foi com um biquini por baixo da roupa. Brincamos muito na água ... e só voltamos prá casa ao entardecer.

Foi muito bom os dias que eu passei naquela cidadezinha do interior.
A noite de Carnaval também foi maravilhosa e inesquecível ...

Quem gostou desse relato, poderá curtir no Grupo de MAOSECRETS.

Abração !


Adaptação: Marco Okuma para o Blog de MAOSECRETS
Contato: maosecrets@gmail.com

Postar um comentário

Deixe o seu comentário aqui ! A sua opinião é muito importante para nós !
Mas lembre-se: Gentileza gera gentileza !
Serão excluídos sem aviso prévio as ofensas e os comentários que contrariem as leis e a boa moral.